loading...

Benefícios do Mel – Escolha MEL PORTUGUÊS


Alimento de alto valor energético, o mel tem sido desde sempre associado às suas propriedades medicinais, mas não é só para isso que serve o líquido adocicado. Pesquisas recentes têm analisado os benefícios do mel sobre o peso e o desempenho desportivo, e os resultados preliminares são bastante promissores.

Além de fortalecer o sistema imunológico, combater resfriados e ser uma excelente fonte de energia rápida, o mel pode ainda ser um aliado de quem está tentando perder peso mas não consegue ficar sem comer algo de sabor doce.

História

Cientistas não sabem ao certo há quanto tempo o mel está sobre a terra, mas relatos indicam que cinco milénios antes do nascimento de Cristo nossos ancestrais já se deliciavam com o alimento produzido pelas abelhas.

Egípcios utilizavam o mel tanto para adoçar bebidas e alimentos quanto para embalsamar suas múmias, e os gregos também viam o mel como alimento e um poderoso medicamento.

À medida que o Cristianismo foi se expandindo, as colmeias também foram se multiplicando, pois o mel era utilizado para a produção de velas. Por volta de 1600 o uso do mel como adoçante entrou em declínio, graças ao surgimento do açúcar de cana.

Atualmente o Brasil tem um consumo per capita de aproximadamente 300 gramas de mel por ano. É uma quantidade muito pequena, tanto pelos benefícios do mel quanto pelo fato de que consumimos espantosos 40 kg de açúcar por pessoa a cada 12 meses.

Como o mel é produzido?

O mel é um tipo de açúcar produzido pelas abelhas a partir do néctar retirado das flores. Esse néctar é armazenado pelas abelhas em seus respectivos aparelhos digestivos, onde irá sofrer uma série de reações químicas pela acção de algumas enzimas (invertase, glicose oxidase, catalase, fosfatase e invertase).

Após ser decomposto em dois tipos de açúcares mais simples, a glicose e a frutose, o néctar misturado às enzimas é regurgitado pelas abelhas nos favos da colmeia. Uma vez na estrutura, o mel começa a desidratar e a se concentrar, convertendo-se no alimento que conhecemos como mel puro de abelha.

Caso não seja retirado da colmeia, o mel vai se acumulando para servir de alimento para as próprias abelhas. Cada uma delas produz, em média, cinco gramas de mel por ano.

Propriedades 

Altamente nutritivo, o mel é fonte de proteínas, vitaminas e minerais indispensáveis à saúde. Confira os principais nutrientes do mel por porção de 21g (equivalente a uma colher do alimento):

Gorduras: 0g
Calorias: 64 kcal
Carboidratos: 17,3 g
Proteínas: 0,1 g
Vitaminas: C e do complexo B (niacina, riboflavina, ácido pantotênico, ácido fólico, B6)
Minerais: ferro, magnésio, potássio, zinco, cálcio, manganês e selênio.

Para efeito comparativo, o açúcar branco contém 78 calorias por colher, e não fornece quantidades significativas de vitaminas, minerais e aminoácidos.

Para que Serve o Mel?

O mel é visto como alimento medicinal pelas principais medicinas tradicionais do mundo, como a Medicina Tradicional Chinesa e a Ayurveda, a milenar medicina indiana.

Para os chineses, o mel é um alimento de natureza neutra, que pode ser consumido por pessoas de todas as constituições e que serve para tonificar os órgãos, como o pulmão e o estômago.

Também no Ocidente, o mel é utilizado para curar úlceras estomacais, prevenir e tratar problemas respiratórios, cicatrizar feridas e queimaduras e ainda fortalecer o sistema imunológico.

O mel também serve como uma alternativa mais nutritiva ao açúcar e aos adoçantes. Estes últimos não são exactamente naturais, e o excesso de produtos químicos torna seu uso desaconselhável em longo prazo. Já o mel pode ser utilizado sem trazer riscos à saúde, bastando para tanto que seu consumo seja feito com moderação.

Mel x Açúcar

É praticamente impossível falar dos benefícios do mel sem falar do açúcar. Isso porque o alimento das abelhas não deve ser visto apenas como um remédio caseiro ocasional, mas sim como um substituto mais saudável para o açúcar.

Além de ser mais calórico que o mel, o açúcar contém apenas “calorias vazias”, ou seja, é glicose pura sem vitaminas e minerais. E, como veremos adiante, o mel é muito mais interessante que o açúcar quando se fala em perda ou manutenção do peso.

É claro que isso não significa que você deve sair colocando mel em tudo, afinal, são 64 calorias por colher, o que pode ser equivalente a 5% do total de calorias recomendadas para quem está fazendo dieta para emagrecer.

O que você deve fazer é pensar no mel como uma alternativa mais nutritiva ao açúcar, que pode ser consumido regularmente desde que você controle o tamanho das porções (evite consumir mais que 2 colheres de mel ao dia).

Benefícios do Mel

Agora que já você já sabe um pouco mais sobre sua história e propriedades, vamos conferir alguns dos benefícios do mel para a saúde e a boa forma:

1. Emagrecimento

Altamente calórico e fonte de carboidratos de alto índice glicêmico, o mel não emagrece. Mas, interessantemente, o alimento pode ser um grande aliado da dieta quando utilizado em substituição ao açúcar.

Algumas pesquisas preliminares têm demonstrado que o consumo moderado de mel em uma dieta hipocalórica pode ser benéfico à silhueta pois causa menos impacto na glicemia sanguínea. Confira três destes estudos:

– Glicose

Em uma pesquisa publicada em 2010 no Journal of the American College of Nutrition, cientistas compararam os efeitos do mel aos do açúcar nas taxas de açúcar no sangue de mulheres saudáveis. A conclusão foi que o mel altera os níveis de glicose de maneira menos drástica, o que se traduz em uma menor libertação de insulina.

Para quem está fazendo dieta, isso significa um maior controle do apetite, já que um excesso de insulina no sangue pode levar à hipoglicemia. A diminuição de glicose na circulação leva o cérebro a emitir um sinal para que você coma novamente, mesmo que tenha acabado de se alimentar.

– Apetite

Outra relação entre o mel e o apetite foi encontrada em um estudo de 2011 publicado no Nutrition Research. Pesquisadores compararam os efeitos do açúcar e do mel no excesso de peso de ratos e concluíram que os animais alimentados com mel comeram menos durante o dia do que aqueles que receberam açúcar.

Além disso, os roedores que consumiram mel ao invés de açúcar ganharam menos peso e menos gordura corporal que os demais animais alimentados com açúcar.

– Perda de peso

Publicada em 2008 no Scientific World Journal, uma pesquisa desenvolvida com 55 pacientes com sobrepeso ou obesidade demonstrou mais uma vez as vantagens e os benefícios do mel em relação ao açúcar de mesa tradicional.

Pesquisadores dividiram os participantes em um grupo controle (com 17 pessoas) e um grupo experimental com 38 participantes. Enquanto cada um dos pacientes do grupo controle recebeu 70 gramas diárias de sacarose (açúcar), ao segundo grupo foram fornecidas 70 gramas de mel puro.

Uma análise comparativa dos resultados dos exames de sangue colhidos antes e após o estudo revelou que os participantes que consumiram o mel apresentaram uma redução de:

Peso corporal total (1,3%)
Gordura corporal (1,1%)
Nível de colesterol total (3%)
LDL (5,8%)
Triglicérides (11%)
Glicose sanguínea em jejum (4,2%)

Para os autores do estudo, os resultados indicam que a inclusão do mel na dieta em substituição ao açúcar pode ser benéfica tanto para a saúde quanto para a boa forma.

Isso porque, além de evitar o sobrepeso e o acúmulo de gordura, o mel também aumentou as taxas de HDL, o tipo de colesterol que ajuda a prevenir doenças do coração.

Analisando os estudos acima, podemos concluir que o mel pode fazer parte da dieta porque é mais saudável que o açúcar. Vale ressaltar que acrescentar mel ao cardápio não irá fazer você peso. A dica é trocar o açúcar pelo mel, e no caso de quem já não consome muito açúcar, não acrescentar nada.

2. Alivia a tosse

Não é à toa que as avós costumam recomendar uma colher de mel ao primeiro sinal de gripe ou resfriado: ajudar a diminuir as inflamações e afastar a tosse estão entre os benefícios do mel para a saúde.

De acordo com um estudo infantil publicado no periódico Pediatrics, crianças entre 1 e 5 anos com resfriado tossem menos à noite quando recebem duas colheres de mel antes de ir para a cama.

Um possível explicação: enquanto a viscosidade do mel ajuda a “revestir” a garganta, o sabor adocicado estimula terminações nervosas que protegem a região contra ataques de tosse.

Até mesmo a Organização Mundial da Saúde se rendeu aos benefícios do mel e passou a listar o alimento como um demulcente, ou seja, uma substância que alivia a irritação na boca ou na garganta através da formação de uma película protetora.

Pesquisas têm demonstrado inclusive que o mel pode ser tão eficaz quanto o dextrometorfano, o princípio ativo de uma série de medicamentos antitussígenos.

3. É um hipercalórico natural

Nós nos habituamos a associar a palavra dieta com perda de peso, mas a verdade é que existem muitas pessoas no outro extremo da balança.

Seja por fatores genéticos ou por alguma condição de saúde, algumas pessoas têm dificuldade para ganhar peso, e aumentar o tamanho das porções para consumir mais calorias nem sempre é uma opção muito prática.

Por isso, é importante encaixar na dieta alimentos como o mel, que são altamente calóricos mas ao mesmo tempo são recheados de benefícios para a saúde.

Acrescentar três colheres de mel por dia aos shakes de proteína ou às frutas garante quase 200 calorias a mais na dieta.

4. Grande aliado de quem pratica esportes

A melhor opção para o pré treino ainda são os carboidratos complexos combinados com uma fonte de proteína, mas caso você precise de energia de maneira rápida, o mel é uma ótima alternativa.

Em pouco tempo a glicose do alimento chegará até suas células, que terão energia para a contração muscular durante os exercícios.

Já o pós treino é o melhor horário para consumir o mel, pois nesse momento o corpo está em estado anabólico, ou seja, suas fibras musculares estão totalmente receptivas à entrada de nutrientes.

Combinar o mel com whey ou outra fonte de proteína de rápida absorção irá garantir que seus músculos consigam absorver os aminoácidos e demais nutrientes necessários para o processo de regeneração.

5. Diminui as alergias

Os efeitos anti-inflamatórios do mel fizeram do alimento um remédio natural contra alergias. Pesquisadores ainda estão tentando compreender melhor essa propriedade do mel, mas uma das teorias mais aceitas é que o alimento atua como uma vacina natural.

Isso porque o mel apresenta uma pequena quantidade de pólen, e este sua vez causa uma produção de anticorpos pelo nosso sistema imunológico.

Com o passar do tempo, o corpo vai ficando cada vez mais acostumado ao pólen e uma quantidade menor de histamina (neurotransmissor químico produzido como resposta a uma inflamação) passa a ser liberada, resultando em menos “sinais” de alergia.

6. É um excelente antioxidante

Estresse, poluição, má alimentação, exposição excessiva ao sol e a prática de exercícios físicos intensos são todos fatores associados à produção de radicais livres.

Não é possível viver sem eles, já que são gerados naturalmente como resultado do nosso metabolismo. Mas quando em excesso, essas substâncias podem causar o envelhecimento da pele, dificultar a recuperação muscular no pós treino e predispor o organismo a doenças.

Um dos benefícios do mel é exatamente ser uma boa fonte de antioxidantes, que minimizam os impactos negativos dos radicais livres sobre as células. O mel escuro é ainda mais rico em antioxidantes, chegando a conter o mesmo teor dos compostos que o espinafre e o alho.

Para aproveitar os benefícios do mel advindos de seus antioxidantes, utilize-o na temperatura ambiente, já que o cozimento pode destruir certas vitaminas. 

7. O mel causa menos impacto na glicose sanguínea

Ainda que o mel tenha um índice glicêmico semelhante ao do açúcar (58-65 do mel contra 55-69 do açúcar), ele causa uma variação menor de glicose no sangue.

Além de ser importante para quem está fazendo dieta, essa propriedade do mel torna o alimento uma alternativa para quem tem histórico de diabetes na família e está tentando minimizar o consumo de açúcar.

Diabéticos devem evitar o consumo do mel sem orientação médica, pois embora seja melhor que o açúcar, o mel ainda dificulta o controle das taxas de glicemia.

8. Trata a caspa

De acordo com uma pesquisa publicada no European Journal of Medical Research, aplicar mel diluído em um pouco de água morna no couro cabeludo pode ajudar a tratar a dermatite seborreica, condição que pode causar caspa e coceira na cabeça.

No estudo, pesquisadores pediram a pacientes com caspa e seborreia para aplicar diariamente mel diluído em 10% de água morna nas áreas afetadas. Depois de um período de 3 horas, o mel era enxaguado em água morna.

Após uma semana, todos os pacientes apresentaram uma diminuição na coceira e a escamação do couro cabeludo desapareceu. As lesões também estavam cicatrizadas, e na semana seguinte desapareceram por completo. Os pacientes relataram ainda uma redução na queda de cabelo.

9. Antibactericida

Pesquisadores da Universidade de Sydney na Austrália comprovaram o que a medicina popular já sabe há muito tempo: o mel tem poderosas atividades antimicrobianas. A explicação estaria no fato do mel diluído produzir peróxido de hidrogênio, um comprovado agente antibactericida.

Também da Oceania veio outra pesquisa que reafirma as propriedades antimicrobianas do mel. Cientistas da Universidade de Waikato na Nova Zelândia confirmaram que o mel pode ser mais potente que os antibióticos comerciais, com a vantagem de não possuir os efeitos colaterais dos mesmos.

10. Melhora a memória

O néctar das flores contém antioxidantes que podem atuar na prevenção do dano celular causado pelos radicais livres no cérebro.

Em um estudo publicado em 2011 na revista especializada Menopause, pesquisadores observaram que o consumo diário de uma colher de mel ajudou mulheres na pós-menopausa a melhorar a memória.

Após consumirem 20 gramas diárias de mel durante quatro meses, as participantes da pesquisa apresentaram uma recuperação da memória de curto prazo. Já as mulheres que apenas tomaram comprimidos com hormônios não obtiveram os mesmos resultados.

Mais um dos benefícios do mel é ajudar o corpo a absorver cálcio, mineral que por sua vez é indispensável para a saúde do sistema nervoso. O cérebro precisa de cálcio para processar nossos pensamentos e tomar decisões.

E como as concentrações do mineral no corpo tendem a diminuir com a idade, consumir mel regularmente pode ajudar a prevenir alterações na memória e nas funções cognitivas.

11. Ajuda a metabolizar o álcool

De acordo com o prestigioso NYU Langone Medical Center, o mel consumido por via oral pode aumentar a capacidade do corpo de metabolizar o álcool.

O resultado desta propriedade do mel é que há um menor risco de intoxicação do fígado e um controle mais rápido e eficiente das taxas de glicose no sangue.

12. Cura feridas e queimaduras

Até o início do último século o mel era amplamente utilizado como um poderoso cicatrizante para feridas. Embora a descoberta da penicilina tenha deixado o mel para outros propósitos, o alimento ainda é uma alternativa natural para curar feridas e queimaduras.

Isso porque, como já vimos, o mel possui propriedades antibacterianas, antifúngicas e antioxidantes que ajudam a esterilizar o ferimento e acelerar a recuperação do tecido lesionado.

Testes clínicos descobriram que o mel pode eliminar mais de 250 cepas de bactérias, inclusive algumas resistentes aos antibióticos tradicionais.

Em uma pesquisa publicada no British Journal of Surgery, pesquisadores pediram a 59 pacientes que aplicassem mel diariamente em lesões cutâneas que já haviam sido tratadas sem sucesso com medicamentos convencionais.

Destes, 58 apresentaram uma melhora considerável nos ferimentos após o uso do néctar de abelhas.

Fonte: Mundo Boa Forma Foto: Quadrante Oeste

Muitos artigos têm falado sobre os malefícios do MEL. Na verdade o MEL tem tudo de bom, excepto quando não é natural e leva misturas. Por isso aconselhamos MEL Português e se possível regional. Muitas das vezes até podemos visitar as pequenas fábricas e colheitas deste magnifico alimento.


Share this:

Loading...
 
Copyright © Luso24. Designed by OddThemes | Since 2017
googleecfd0c776a0c6686.html